Arquivo da categoria: ACESSÓRIOS

Bombas de ar para bicicletas

As bombas de ar são equipamentos fundamentais para qualquer ciclista, seja em trilhas, estradas, passeios ou até mesmo para uso em casa.

Existem diferentes tipos de bombas, além das vantagens e desvantagens de cada uma.
Vamos falar sobre os principais modelos para que você possa escolher o melhor para você!

Tipos de Bombas de Ar

Bomba de Mão

São as bombas mais compactas que podem ser facilmente transportadas com você durante o pedal. Elas podem ser feitas de materiais como plástico e alumínio, ou também em fibra de carbono. As de alumínio são as mais recomendadas pois são leves e resistentes e não tem um custo muito alto.

Fique atento a qual válvula a bomba deve ser utilizada. Elas podem ser para válvulas grossas (schrader/americana), para válvulas finas (presta) e existem modelos que atendem a esses 2 tipos de válvulas. Em alguns modelos, a cabeça da bomba (onde o encaixe com a válvula é feito, pode ser fixa ou ter uma mangueira.
Nesses casos, a mangueira facilita o encaixe no bico da câmara, já que alguns tipos de aros possuem perfil alto, ou quando o cruzamento dos raios dificulta o encaixe.

Quanto maior for o tamanho da bomba de mão, maior será a sua capacidade de calibragem, pois as bombas muito curtas não conseguem comprimir ar suficiente para passar dos 60 PSI.

Escolha modelos que possuem trava pois esse dispositivo faz com que a bomba não deixe o ar escapar ou que ela se solto da válvula.
Bombas com cabo retrátil garantem uma pegada mais firme com a mão e modelos com manômetro são de grande ajuda devido ao medidor de pressão.

– Vantagens das Bombas de Mão

Leve e compacta
Ideal para MTB e outros categorias que não exigem alta pressões.
Fácil transporte (podendo ser levada no quadro, bolsas de selim, mochilas etc)
Suporta válvulas presta e americana
Excelente custo-benefício

– Desvantagens das Bombas de Mão

Impossibilidade de encher pneus de bikes de estrada
As mais simples não possuem manômetro ou cabo retrátil
As feitas de plásticos tendem a ter uma durabilidade e vida útil menor

Bombas de Quadro

São modelos com tamanhos maiores, que lhes proporciona um volume maior de ar, e se encaixam no quadro da bike.

As bombas de quadro podem ser de plástico, alumínio ou também em fibra de carbono. Elas são mais voltadas para as bikes de estrada, devido ao seu formato e funcionamento, tendo em vista que a maioria só atende as válvulas prestas (finas).

Pode aplicar altas pressões, que passam de 110 PSI, sendo que alguns modelos podem ter manômetro. Se a bomba não possuir manômetro, o ideal é que você tenha um medidor digital de pressão para saber identificar o nível de ar do pneu.

Nesses modelos, a cabeça de encaixe pode ter trava ou não, e é fixa, o que poderá atrapalhar dependendo da posição do bico da câmara no aro da bike.

– Vantagens das Bombas de Quadro

Trabalha com pressões mais altas que podem passar dos 110 PSI
Leveza
Pode ser utilizada em casa ou nos intervalos das pedaladas
Modelos encontrados em diversos  materiais, com manômetro e trava.
Encaixa-se muito bem em quadros de bikes de estrada

– Desvantagens das Bombas de Quadro

Não é compacta
Não possui mangueira para encaixe
Pode não encaixar em alguns modelos de mountain bikes

Bombas de Pé (ou Bombas de Piso)

São os modelos ideais para se ter em casa, nas garagens ou nas oficinas das bicicletarias.
A maioria dos modelos é feita de plástico ou de alumínio e conta com manômetro. São de tamanho grande, com cabo longo, suporte para pegar com as duas mãos e todas possuem mangueira.

– Vantagens das Bombas de Pé

Enchem completamente qualquer pneu de bicicleta
São mais resistentes que os demais modelos
Podem ser usadas para calibrar pneus de carro
Maioria tem manômetro

– Desvantagens das Bombas de Pé

Limitada ao uso  em casa ou para transporte em carros
Modelo mais simples podem custar mais do que as bombas de mão e de quadro simples

Outros tipos de bombas de ar

– Bombas de suspensão

Utilizadas em amortecedores e garfos de suspensão a ar, a bomba de suspensão é diferente dos outros modelos pois prioriza a pressão ou invés do volume de ar. Compatível apenas com válvulas schrader.

– Cartuchos de CO2

São utilizados nas emergências em provas e competições. O cartucho de CO2 permite encher um pneu em pouco mais de 3 segundos.
As desvantagens desse tipo é o preço e a impossibilidade de reaproveitar o cartucho.

Algumas bombas que enchem pneus também servem para calibrar suspensões a ar. Mas é necessário um bico específico só para o encaixe na peça, que é diferente para as válvulas schrader e presta. Não tente calibrar sua suspensão com bombas sem essa função, correndo o risco de danificar a peça.

Ciclistas iniciantes cometem o erro de não ter uma bomba de ar pensando que sempre encontrará um posto de gasolina pelo caminho ou que terá um “ciclista amigo” para salvá-lo. Ter sempre uma bomba de ar à mão será a sua salvação

Matéria base originalmente publicada em Bike Registrada
Equipe a sua bike aqui na Azupa!

A importância de usar óculos de ciclismo ao pedalar

O uso dos óculos é muito importante para todos os ciclistas, não apenas pela questão da estética mas também pela segurança e proteção que eles trazem.
Não importa o terreno ou a condição, seja nas trilhas, cidades, chuva ou sol, o uso do óculos vai garantir um pedal mais seguro.

Muitos ciclistas não usam esse acessório, então por que devo usá-lo?

Não importa a distância a ser percorrida, em todo pedal, mesmo os mais curtos, podemos nos deparar com situações inusitadas e riscos.

Vento, poeira, insetos e outros detritos são bastante comuns e você estará exposto a tudo isso em todas as vezes que sair para pedalar.

Por isso a importância da utilização dos óculos, pois nas trilhas eles protegem a visão do ciclista contra cascalhos soltos e detritos. Já no asfalto, eles evitam as irritações causadas pela fuligem e poeira das pistas e estradas.
Além de protegerem os olhos dos raios UV, eles precisam ajustar os olhos a luz do ambiente e às sombras.

Usar óculos adequados fará você ter muito mais tranquilidade ao pedalar e poderá aproveitar muito mais o seu treino ou passeio.

Características dos óculos de ciclismo

Armação

Pode ser feita de plástico, nylon ou até mesmo de fibra de carbono, esse último muito usado por ciclistas profissionais que precisam reduzir ao máximo o peso do conjunto.

O formato das hastes pode variar, indo desde hastes mais largas enquanto outros modelo optam por mais finas. Opções não faltam em termos de ajustes e furos nas hastes para ajudar na ventilação no rosto.

O conforto das narigueira é muito importante para diminuir o estresse na região causado pelo aperto do óculos no nariz.

Uma boa armação irá permitir a troca das lentes do óculos, o que é muito vantajoso pois existem lentes especificas para cada tipo de iluminação do dia.

Lentes

Além de protegem os olhos das sujeiras e detritos que vão aparecer durante o pedal, as lentes devem ter proteção UV contra os raios ultravioletas do sol.

Você  encontrará lentes que possuem pequenos furos para ventilação e evitar o embaçamento. Proteção anti-risco é fundamental para garantir uma maior vida útil do óculos.

Existem diversos tipos de lentes e cada uma possui uma função e cor diferente. É muito importante saber a função de cada cor para comprar o que atenda à sua necessidade.

Temos um artigo explicando as cores e as vantagens de cada cor das lentes: Por que os óculos de ciclismo são coloridos?

Conheça as vantagens das principais lentes:

Lentes escuras: Para dias com muita claridade em que a incidência de luz é grande.

Lentes claras: Para dias nublados e com pouca luminosidade. Podendo muitas vezes serem usadas à noite.

Lentes fotocromáticas: São ideais para a maioria das condições, tanto para o dia quanto a para a noite pois escurecem ou clareiam de acordo com a luz ambiente.

Lentes amarelas: Para dias nublados e neblina sendo ótimas também para pedalar a noite pois cor amarela transmite o máximo de luminosidade possível.

Os óculos precisam se encaixar perfeitamente no seu rosto. Verifique a curvatura da lente, se ela tem um bom encaixe no rosto e se oferece um bom campo de visão e proteção.
Não são simplesmente acessórios e devem proteger os olhos e a nossa visão. Vá em lojas especializadas e não compre de lugares que não tem marcas e produtos confiáveis.

Matéria base originalmente publicada em Bike Registrada

Deixe sua bike pronta para o próximo pedal aqui na Azupa

Pedalar na Cidade? Acessórios indispensáveis para o seu pedal

Se você está acostumado a pedalar pelas cidades brasileiras sabe que existem inúmeros cuidados que devemos tomar para poder pedalar com segurança e tranquilidade.
Mas existem acessórios que foram desenvolvidos para facilitar a nossa vida e nos deixar preparados para encarar os desafios de pedalar pela cidade.

Confira alguns deles:

Bolsas para bicicleta

As bolsas são incrivelmente úteis para o dia a dia no pedal pela cidade e servem para levar equipamentos, ferramentas, documentos e itens pessoais.

Ao contrário dos grandes alforjes, as bolsas são menores e seus diferentes modelos podem ser instalados no guidão, quadro e selim. Isso facilita muito o uso urbano.
A maioria dos modelos é feita com tecido impermeável e as mudanças climáticas não serão problemas para o ciclista urbano.

Bagageiros

Se você se locomove muito pela cidade certamente um bom bagageiro é uma escolha que você deve ter. Eles são ótimos para carregar pesos maiores e evitam que o ciclista carregue essa carga em uma mochila nas costas.
Ele é uma estrutura feita para suportar peso e abre a possibilidade de você carregar diversos tipos de materiais diferentes, desde roupas, equipamentos de trabalho ou ferramentas.
Importante lembrar que existem diferentes modelos de bagageiros que são feitos para diferentes tipos de bicicleta e é importante que você verifique se o modelo escolhido é compatível com a sua bike e se ela possui as furações no quadro para a instalação.

Conheça os diferentes tipos de bagageiros para a sua bike nesse artigo

Alforjes

Se você colocou um bagageiro na sua companheira de pedal, então é hora de pensar em ter um bom alforje também. Eles são bolsas um pouco maiores que são instaladas nos bagageiros dianteiros ou traseiros e irão facilitar ainda mais o seu passeio ou ida ao trabalho de bicicleta.
Existem diversos tipos de alforjes, com diferentes tipos de materiais e opte por aquele que melhor atenda as suas necessidades.

Faróis e Lanternas

Seja visto de dia e de noite pelos motoristas e pelos pedestres com um bom kit de iluminação para a sua bicicleta.
Além de realizar a iluminação do caminho no seu pedal noturno, os faróis e lanternas servem para sinalizar que o ciclista está na via, seja de dia ou de noite.
Existem centenas de modelos disponíveis e você encontrar dos mais baratos aos mais caros, sejam à pilha ou por carregamento USB, que possuem maior ou menor potência de iluminação. Os faróis dianteiros, em sua maioria, possuem luz branca na iluminação, enquanto as lanternas traseiras são de luz vermelha.

Confira algumas dicas de sinalização para pedalar a noite nesse artigo

Cadeados

Esse é um dos itens essenciais para quem pratica ciclismo urbano. Os cadeados são feitos para evitar que a sua bicicleta seja furtada enquanto você não está pedalando e não tem lugar para guarda-la.
Existem diversos tipos de cadeados e os mais conhecidos e utilizados são os de cabo de aço e o os U-Locks, que são recomendados que sejam utilizados em conjunto para obter uma melhor segurança no pedal.

Saiba como utilizar os cadeados de forma segura nesse artigo

Bagageiro para bike

Quem está pensando em começar a fazer viagens de cicloturismo, ou mesmo pedais mais longos, deve considerar usar bagageiros na bicicleta.
Conhecer novos lugares, pessoas e culturas é uma das melhores sensações que podemos ter enquanto pedalamos, mas para isso é necessário preparar adequadamente a nossa companheira de pedal.
Os bagageiros, ou alforjes,  são excelentes quando precisamos levar muitos acessórios e são feitos para aguentarem um peso maior do que suportaríamos nas costas com uma mochila.
Vamos ver alguns usos dos bagageiros com a bike:

– Cicloviagens

Nesse tipo de uso, você irá utilizar tudo o que os alforjes e bagageiros podem oferecer, pois normalmente transportamos cargas pesadas para encarar muitos dias de viagem.
Dependendo da quantidade de bagagem e acessórios que irá levar, opte por bagageiros

– Uso Urbano

Quem já usa a bike como meio de transporte principal para ir ao trabalho, sabe a importância e de levarmos roupas e equipamentos da bicicleta. Os alforjes são uma melhor escolha para armazenar os itens que não caberiam nas bolsas de quadro, guidão e selim.

– Em passeios

Mesmo para passeios curtos, os bagageiros também são muitos úteis, pois com eles podemos transportar itens que adquirirmos durante o percurso, como por exemplo, as compras de uma ida ao mercado ou padaria.
Para s ciclistas com filhos pequenos, existem cadeirinhas que são específicas para se acoplar nos bagageiros da bike.

Confira 10 equipamentos essências para o seu próximo cicloturismo

Modelos de Bagageiros de bicicleta

Dianteiro

Os modelos dianteiros são fixados pela blocagem ou mesmo por hastes na suspensão ou no garfo.
Os bagageiros dianteiros possuem a capacidade de carga um pouco superior de uma bolsa, mas também existem alforjes específicos para serem usados na lateral do garfo.
A maioria desses modelos tem um limite de carga em torno de 15kg no máximo para não prejudicar a pilotagem.

Traseiros

Os modelos traseiros são os mais variados e comuns, podendo ser removíveis ou não, e são subdivididos em: para quadros e para canote.
– Quadros: Esses modelos são bem reforçados para suportarem até 25kg, necessitando que o quadro tenha furação para que sejam fixados. Também existem modelos próprios para quadros com freios v-brake ou disco e específicos para o tipo de aro da bicicleta.
– Canote: É fixado diretamente no canote e possuem baixa capacidade de carga, sendo muito utilizado em pedais urbanos e de passeio.

Lembre-se sempre de saber todas as especificações da sua bicicleta para poder adquirir um bagageiro adequado que se encaixe na bike e nas suas necessidades de uso.

Como conservar e limpar o capacete de bicicleta

Você apenas deixa o capacete jogado em qualquer canto após o retorno do pedal e das trilhas?
Você nunca lavou? Ou verificou se existem fissuras ou micro rachaduras?

Se você nunca pensou nisso, sinto informar que você está fazendo muito errado!
É hora de separar um tempo para se dedicar na conservação e limpeza desse tão importante item de segurança.

post_limpeza_capacete
Separamos algumas dicas que podem lhe ajudar nessa tarefa

1) Lave com frequência

Lavando regularmente, você evita que odores desagradáveis aparecem e aumenta a durabilidade do capacete. O suor da transpiração também pode danificar as correias e as espumas.

Utilize água em abundância, sabão neutro e uma escola de limpeza. Retire as espumas e as correias (se possível) e lave-as a parte.
Seque com uma toalha de papel e deixe o capacete secar por completo à sombra.

2) Verifique o estado do capacete

Após a secagem completa, verifique se o capacete possui amassados, fissuras ou micro rachaduras internas. Na parte externa também procure por amassados e áreas deformadas. Se localizar algum desses itens, o melhor a fazer é substituir o capacete, pois a proteção dele provavelmente já está comprometida.

Verifique o estado do sistema de fixação. Muitos modelos atuais permitem a troca de apenas essas partes, o que se torna uma boa opção se o restante do capacete estiver em boas condições.

post_limpeza_capacete3

3) Guarde corretamente

Os capacetes devem ser guardados longe de fontes de calor e em local seco e arejado. O calor pode deformar a estrutura do capacete, comprometendo a capacidade de absorver impactos.

4) Verifique o uso de acessórios

O uso de acessórios deve ser usado com cautela. Faróis, câmeras ou retrovisores podem prejudicar a capacidade de proteção do capacete.
Instale esses equipamentos sempre seguindo a orientação dos fabricantes do capacete e dos acessórios.

post_limpeza_capacete4

5) Troque quando for necessário

Os capacetes são desenvolvidos para suportar um único impacto. Não pense que por ter sido uma queda leve, e o capacete parecer inteiro, que ele pode continuar a ser utilizado.

Após uma queda onde o capacete foi atingido, o substitua imediatamente.

 

6) Observe a vida útil do capacete

Por melhor que seja a marca e mais tecnológico que seja, o capacete não dura para sempre. A maioria dos fabricantes recomenda a troca a cada três anos, devido à ação do tempo, sol, transpiração e outros fatores.
Sempre consulte as recomendações do fabricante.

post_limpeza_capacete2

E como está o seu capacete?
Se precisando trocá-lo, temos diversos modelos aqui na Azupa! Confira!