Arquivo da categoria: Cross-Country

Avancini vence etapa de XCO pela primeira vez e faz história

Atleta brasileiro conquistou vitória inédita na segunda etapa da Copa do Mundo de MTB no XCO

Instagram Henrique Avancini | @avancinimtb – Foto: Michele Mondini

Ontem (4) foi um dia HISTÓRICO para o ciclismo brasileiro!

Henrique Avancini conquistou o primeiro lugar na prova de cross country olímpico (XCO) na Copa do Mundo de MTB, título inédito na carreira dele!

Atual número 2 do ranking mundial, Avancini já vinha de vitória na prova de short track (XCC) realizada na última sexta feira (2).
As etapas foram na pista de Nové Mesto na República Tcheca.

Por ter vencido o short track, Avancini largou na primeira posição e se manteve na ponta. As provas de XCC contam a metade da pontuação para o título da Copa do Mundo ainda define a posição de largada para a prova de XCO. 

Instagram Henrique Avancini | @avancinimtb – Foto: Michele Mondini

O destaque da largada ficou com o outro brasileiro, Luiz Henrique Cocuzzi, que largou da sexta fileira e assumiu a liderança da prova, porém teve um problema mecânico e acabou perdendo posições.
Mantendo sempre entre os cinco primeiros colocados, Avancini tomou a primeira colocação na última volta para conquistar a vitória, como o tempo de 1h25mim03, em uma disputa acirrada como o suíço Nino Schurter e o holandês Milan Vader.

Milan Vader terminou a disputa na segunda colocação seguido pelo líder do ranking mundial, Nino Schurter. Entre os brasileiros, Guilherme Muller ficou em 53º, Luiz Henrique Cocuzzi em 75º e Edson Rezende em 92º.

Disputa no Feminino

A prova do XCO feminino foi conquistada pela francesa Pauline Ferrand-Prévot com o tempo de 1h14min07, colocando 21s de vantagem sobre a segunda colocada, a holandesa Anne Terpstra. A terceira posição ficou com a também francesa Loana Lecomte.

Entre as brasileiras, Raiza Goulão ficou em 44º com o tempo de 1h23min37. Letícia Cândico ficou em 61º.

Henrique Avancini vence etapa XCC da Copa do Mundo de MTB em Nove Mesto

O brasileiro Henrique Avancini conquistou hoje (2) a sua quarta vitória em uma etapa da Copa do Mundo UCI de MTB.

Instagram Henrique Avancini | @avancinimtb


A conquista foi realizada na segunda etapa da Copa do Mundo realizada na pista de Nove Mesto na República Tcheca. Depois de oito meses de pausa, a Copa do Mundo de MTB retornou em Nove Mesto com as provas de Cross Country e no total serão realizadas duas etapas com quatro provas nessa pista, sendo duas no Short Track (XCC) e duas no Olímpico (XCO).

No começo da semana, o brasileiro após liderar a prova da primeira etapa do XCC, sofreu uma queda e precisou fazer uma corrida de recuperação para terminar na 12º colocação.

Na etapa de hoje, Avancini pedalou forte no sprint final e deixou pra trás o suíço Thomas Litscher, o alemão Maximilian Brandl e o holandês Milan Vader.

“Depois de terça-feira, eu revi meus objetivos e sabia que precisava ir com tudo para cima. Com esse pelotão de alto nível, tudo pode acontecer. Não é fácil para ninguém. Mas estou preparado para a vitória. Fui controlando a prova e no final fiz de tudo para me manter em uma posição boa. Isso revigora minhas energias”, disse ele após a prova.

As provas de XCC contam a metade da pontuação para o título da Copa do Mundo ainda define a posição de largada para a prova de XCO. As etapas desse ano não somarão pontos, sendo válidas apenas como vitórias individuais.

Primeira Etapa do Cross Country Olímpico (XCO)

Red Bull TV – Reprodução

Em prova realizada nessa quinta (1), o jovem dinamarquês Simon Andreassen, de 22 anos, venceu a etapa depois de largar na quadragésima primeira colocação. Esta foi a segunda prova que ele correu pela elite, e a segunda colocação ficou Maxime Marotte, seguido de Milan Vader.

Henrique Avancini liderou as primeiras voltas mas acabou caindo algumas posições e fez disputa acirrada com o suíço Nino Schurter, rodando juntos por toda a última volta. No sprint final, Nino superou Avancini no photo finish.

Os demais brasileiros na prova foram Guilherme Muller que ficou na 47º, Luiz Cocuzzi em 77º e Edson Gilmar de Rezende em 84º.

Instagram Loana Lecomte | @loanalecomte

No feminino, a francesa Loana Lecomte venceu a prova com Anne Terpstra na segunda colocação e Pauline Ferrand Prevot em terceiro.

A brasileira Raiza Goulão ficou com a 43º colocação e Letícia Cândido ficou em 65º.

A segunda etapa do XCO acontece nesse próximo domingo (4) na mesma pista de Nove Mesto.

Cross-Country, Downhill ou All Mountain?

Você está pensando em adquirir uma bike nova, se depara com esses termos e não sabe o que são?
As grandes marcas de bicicletas certamente possuem modelos destinados para Cross-Country, Downhill/Freeride e All Mountain. Vamos explicar um pouco sobre esses termos no MTB!

A primeira confusão causada por esses termos são as diversas variações entre eles. Além de ser difícil definir os limites entre uma bike e outra, os fabricantes e países usam termos diferentes para um mesmo tipo de bike.
Podemos dizer que o Cross-Country (XC) e o Downhill (DH)/Freeride estão nos extremos da categoria e o All Mountain está entre eles.

Cross-Country (XC)

As bikes específicas de XC são destinadas para competições.
A maioria não possui suspensão traseira e o peso baixo é uma das prioridades, sendo até mais importante que o conforto ou a resistência da bicicleta.
Pensando nisso, existem peças indicadas para atletas de um determinado limite de peso e a configuração da bicicleta exigirá um melhor preparo físico e habilidade do atleta.

Essas bikes possuem rotores de disco de 140 mm, suspensões de apenas 80 mm a 100 mm, guidões retos e estreitos e pedivelas com apenas uma ou duas coroas, fazendo com que a bike seja ótima em situações de competição, especialmente nas subidas.

Downhill (DH) e Freeride

Essas bikes são o oposto das de XC.
As de Downhill são fabricadas exclusivamente para competição, pois a relação de marchas são configuradas para descidas, possuem suspensão de mais de 180mm de curso, geometria que favorece as descidas inclinadas e curvas, rotores de disco de 200mm e os pneus são largos.

Já as de Freeride não são fabricadas para competição e a sua geometria é mais genérica e com configurações menos específicas.

As bikes de DH e Freeride chegam a pesar três vezes mais que uma bike de Cross-Country e quando encaram subidas, obrigam o piloto a desmontar e empurrar.

All Mountain

As bikes dessa categoria surgiram para serem as melhores entre os dois extremos. Porém existem inúmeras possibilidades de configuração dessas bikes, o que leva a definições confusas.

Nos EUA e Canadá, as bikes chamadas de Trail possuem menos curso de suspensão (até 140mm) e a sua configuração é mais leve, de modo a favorecer as subidas. Se o curso de suspensão for acima de 140mm, são denominadas de All Mountain e serão mais agressivas e robustas, favorecendo as descidas.

Se falarmos de Europa, o termo All Mountain é usado para as bike de uso mais leve e o termo Enduro é usado para as bikes mais agressivas.

Matéria originalmente publicada em Revista Bicicleta

Sua bike está pronta para encarar o pedal?
Equipe aqui na Azupa!

Henrique Avancini e Letícia Cândido levam as provas XCO e XCM no Campeonato Brasileiro MTB 2019

O ciclista Henrique Avancini confirma o favoritismo e leva o Campeonato Brasileiro de MTB nas modalidades Cross Country Olímpico (XCO) e Maratona (XCM) realizado na região serrana de Mairiporã, em São Paulo.

A mineira Letícia Cândido comemorou os títulos inéditos na carreira, também levando ambas as provas.

Henrique Avancini © Rodrigo Barreto

XCO

O público pode acompanhar de perto a definição dos campeões brasileiros de cross country olímpico no último sábado (20/07)

Na Elite Masculina, Avancini manteve a liderança durante toda a prova e na terceira volta conseguiu abrir uma distância confortável para os demais competidores.
Foi o 14º título de Avancini em provas de XCO.

Henrique Avancini © Luis Claudio Antunes – CBC

“Corrida duríssima. Eu queria muito manter essa camisa no meu peito, é uma grande honra e um grande prazer. Essa era uma prova que todo mundo esperava que eu ganhasse, e fico feliz de não ter decepcionado a galera. E ter ajudado a fazer essa festa maravilhosa. É diferente de como se eu estivesse em uma prova internacional, porque eu estou em casa e a sensação é muito melhor. É especial ver esse carinho, ver como as pessoas vibram com o mountain bike, com um biker brasileiro, pra mim é sensacional viver isso, vivo um momento dos sonhos na minha carreira.” comentou Henrique.

© NG Fotos

Resultado Elite Masculina XCO

1 – Henrique Avancini
2 – Guilherme Muller
3 – Sherman Trezza
4 – Luiz Cocuzzi
5 – Rubinho Valeriano

Na Elite Feminina, a mineira Letícia Cândido confirmou que vive o melhor momento da carreira superando as últimas campeãs da prova, Raiza Goulão (tricampeã brasileira entre 2015 e 2017) e Jaqueline Mourão (vencedora em 2018).

“Foi um turbilhão de emoções, desde a largada sabia que não estava na minha melhor performance. Mas confiei no meu trabalho e contei um pouquinho com a sorte. Agradeço a toda minha equipe, que confiou no meu trabalho. Estou muito contente”, disse Letícia.

Letícia Cândido © Luis Claudio Antunes – CBC

A campeão de 2018, Jaqueline Mourão, liderava a prova e na metade final teve um furo no pneu traseiro, tendo que percorrer uma parte do circuito pedalando no aro da bike para chegar na área de apoio para realizar a troca.

Jaqueline Mourão © Luis Claudio Antunes – CBC

“Faz parte do esporte. Furei o pneu e tive que correr muito pra chegar no apoio para poder fazer a troca. Mas é importante saber que estou muito forte e que fisicamente e tecnicamente estou muito bem. Problemas mecânicos acontecem, é a gente tem que saber que isso faz parte do esporte. Semana que vem tem Jogos Pan-Americanos no Peru e é uma honra muito grande representar o meu país”, destacou Jaqueline.

© Gustavo Epifanio

Resultado Elite Feminino XCO

1 – Letícia Cândido
2 – Raiza Goulão
3 – Jaqueline Mourão
4 – Hercília Najara
5 – Viviane Favery

XCM

A prova de Maratona do Cannondale MTB Festival contou com percursos de 82 km e 41 km que passava por estradas e trilhas da região serrana de Mairiporã, em São Paulo.

No Masculino, Henrique Avancini faturou pela primeira vez na carreira o título brasileiro de cross country maratona.
A prova foi bastante disputada do início ao fim, sendo definida somente nos últimos quilômetros, quando Avancini fez o ataque na última serra, cerca de 5 km para o final, conseguindo abrir uma vantagem de pouco mais de dois minutos para o segundo colocado.

Henrique Avancini © Luis Claudio Antunes – CBC

“Competi ontem, então estava bastante cansado e precisei usar uma tática cautelosa, estudando mais os adversários e procurando o momento certo para tentar definir a corrida. Após o começo da prova consegui me destacar com o Bruno e a menos de 10 km do final consegui fazer uma aceleração no último trecho de trilha e me destacar. Super especial conseguir dois títulos brasileiros em casa, perto da minha família, que é onde eu encontro forças para superar todas as dificuldades”, afirmou Avancini.

O atual campeão mundial da maratona e segundo colocado na Copa do Mundo de XCO 2019, Avancini vai representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, em 28 de julho. Em seguida parte para a próxima etapa da Copa do Mundo em Val di Sole, na Itália, entre os dias 2 e 4 de agosto.

© Luis Claudio Antunes – CBC

Resultado Elite Masculina XCM

1 – Henrique Avancini
2 –  Bruno Lemos
3 – Sherman Trezza
4 – Gilberto Gois
5 – Edson Rezende

Na competição Feminina, Letícia Cândido entrou embalada pelo título de XCO, conquistado no sábado, e confirmou a incrível fase levando a medalha de ouro na prova.

Letícia Cândido © Luis Claudio Antunes – CBC

“Foi incrível finalizar minha participação com dois títulos nacionais. Eu estava muito preocupada por fazer as duas provas, mas meu treinador sempre me tranquilizou e disse que eu estava preparada. Apesar de tudo, Sofri bastante porque estava um pouco cansada da prova de XCO e tinha muita subida longa, subidas inclinadas e no final muitos tops, quase intermináveis, e acredito muito que tudo valeu a pena”, ressaltou Letícia.

© Luis Claudio Antunes – CBC

Resultado Elite Feminino XCM

1 – Letícia Cândido
2 – Viviane Favery
3 – Raiza Goulão
4 – Tania Clair
5 – Marcella Toldi

Henrique Avancini no pódio na Copa do Mundo de MTB na França

Henrique Avancini levantou a bandeira brasileira duas vezes no pódio na Copa do Mundo de MTB realizada em Les Gets, na França.
O brasileiro, integrante da equipe Cannondale Factory Racing, terminou a prova do cross country olímpico (XCO) na terceira colocação, após o segundo lugar na corrida de short track (XCC) realizada na sexta-feira.

Avancini na prova XCC © BARTEK WOLIŃSKI – RED BULL

No short track, estilo que tem lhe rendido seguidos resultados de destaque, Avancini fez uma prova agressiva, liderou e terminou no segundo lugar atrás do holandês Matheiu Van Der Poel. O brasileiro vinha do lugar mais alto do pódio que conquistou no final de semana anterior na etapa de Vallnord, em Andorra.

Henrique Avancini lidera na prova de short track (XCC) em Les Gets © BARTEK WOLIŃSKI – RED BULL

Na prova principal, o XCO, Avancini chegou a assumir a liderança colocando pressão nas principais referencias do esporte como o suíço Nino Schurter.
Schurter terminou na primeira posição, à frente do italiano Gehard Kerschbaumer, seguido de Henrique Avancini na terceira posição, repetindo a colocação da prova anterior em Andorra.

Junto com os pontos da prova de XCC, Henrique pulou da quarta para a segunda colocação geral da classificação na Copa do Mundo, apenas atrás do suíço Nino Schurter.

A próxima etapa da Copa do Mundo será em Val Di Sole, na Itália, entre os dias 2 e 4 de agosto.
Antes disso, entre os dias 19 e 21 de julho, Henrique Avancini volta ao Brasil para defender o título do Campeonato Brasileiro MTB em Mairiporã, interior de São Paulo. Já no dia 28 de julho, ele disputa a prova de cross country dos Jogos Pan-Americanos em Lima, no Peru.

Está acompanhado a Copa do Mundo de MTB?
Conta pra gente pra quem você está torcendo!

Tudo para a sua #vidacombike está aqui!

Competições Internacionais de MTB que todo ciclista não pode perder

Se você já está acostumado a acompanhar as competições de elite do ciclismo saberá exatamente descrever a sensação de poder torcer pelos melhores atletas do mundo, seja ao vivo ou por vídeo.

No Brasil temos provas de alto nível técnico, mas as competições internacionais são as que atraem a grande atenção do público.

Listamos algumas dessas competições que todo ciclista não pode perder!

1 – COPA DO MUNDO UCI DE MTB

Foto: http://www.uci.org – Mercedes-Benz UCI Mountain Bike World Cup DHI

A UCI MOUNTAIN BIKE WORLD CUP é a “elite” das competições de MTB. Em 2019, a Copa do Mundo de Mountain Bike passará por 10 países em três continentes, com provas de Downhill (DH) e Cross Country com as modalidades Short Track (XCC) e Olímpico (XCO).

As provas são divididas nas categorias Elite e Junior, tanto masculino quanto feminina.

Calendário Copa do Mundo UCI
27-28 de abril
 – (DH) Maribor, Eslovênia
17-19 de maio – (XCO/XCC) Albstadt, Alemanha
24-26 de maio – (XCO/XCC) Nové Mesto, República Tcheca
1-2 de junho – (DH) Fort William, Escócia
8-9 de junho – (DH) Leogang, Áustria
5-7 de julho – (DH/XCO/XCC) Vallnord, Andorra
12-14 de julho – (XCO/XCC/DH) Les Gets, França
2-4 de agosto – (XCO/XCC/DH) Val di Sole, Itália
9-11 de agosto – (XCO/XCC/DH) Lenzerheide, Suíça
6-8 de setembro – (XCO/XCC/DH) Snowshoe, Estados Unidos

2 – CAMPEONATO MUNDIAL UCI DE MTB

Para muitos ciclistas, o Mundial UCI de Mountain Bike é o principal título do ano.
Os atletas não tem a preocupação de ficar pensando nos pontos do ranking mundial da Copa do Mundo e eles competem por seus países, sendo selecionados pelas federações nacionais.
O campeão mundial ganha o direito de usar as listras arco-íris por toda a sua carreira profissional.

Calendário Campeonato Mundial UCI
31 de agosto e 1 de setembro
 – Mundial UCI MTB – Mont-Sainte-Anne, Canadá

3 – CAPE EPIC

Absa Cape Epic é uma ultramaratona de MTB que acontece na Cidade do Cabo, na África do Sul, anualmente. É divida em 7 etapas e tem um percurso de 700 km durante oito dias.

A edição de 2019 teve como campeões gerais a dupla da equipe Scott-SRAM MTB-Racing, Nino Schurter e Lars Forster. A dupla da equipe Cannondale Factory Racing ficou em segundo lugar com o brasileiro Henrique Avancini e o alemão Manuel Fumic.
A próxima edição acontece de 15 a 20 de março de 2020.

Matéria originalmente publicada em Bike Registrada

Você acompanha essas competições?
Nos fale o que achou de cada uma!

Tudo para a sua #vidacombike está aqui!

Principais Competições de MTB no Brasil

Quer acompanhar ou até mesmo participar das principais provas de MTB?

Vamos falar um pouco de algumas delas para que você se prepare para encarar esse desafio!
Algumas são abertas a qualquer tipo de atleta (amador ou profissional), enquanto outras são só disputadas por atletas de elite. Sempre procure se informar quais são para o seu perfil e já se prepare para a largada!

1 – BRASIL RIDE

Foto: brasilride.com.br

Ultramaratona de Mountain Bike, foi eleita nos últimos anos como a melhor prova de MTB do Brasil.
Essa competição acontece anualmente na Bahia e a edição 2019 será realizada entre os dias 20 a 26 de outubro.
O percurso da prova tem uma distância de 600 km e altimetria de 13 mil metros. Em cada dia de prova são percorridos entre 80 a 100 km.
A largada é feita na região litorânea, mais conhecida como Costa do Descobrimento, local onde os primeiros portugueses aportaram no Brasil, em 1500. Seguem  em direção ao interior percorrendo as montanhas que dividem os estados da Bahia e Minas Gerais, e voltam ao litoral para receberem a desejada bandeirada de chegada.
Disputada sempre em equipes (duplas), a Brasil Ride tem as categorias:
– FEMININO
– MISTA
– OPEN
– MASTER (nenhum atleta com menos de 40 anos na categoria Master)
– GRANDMASTER (nenhum atleta com menos de 50 anos)
– NELORE (acima de 90kg)
– CORPORATIVA (3 integrantes com no mínimo 35 anos e a soma das idades igual ou superior a 115 anos)
– IRON RIDER (destinado aos atletas competidores de triathlon de longas distâncias – 3,8 km natação, 180 km de ciclismo e 42,1 km de corrida).

O limite de inscritos é de 500 competidores.

A edição de 2018 teve como vencedores a dupla Brasil/Alemanha da equipe Cannondale Factory Racing XC com Henrique Avancini e Manuel Fumic.

O Brasil Ride também outras edições de outras modalidades acontecendo o ano todo:

  •  Festival Brasil Ride ou Warm-Up  – com ciclismo de estrada, MTB e Trail Run.
  • Grave Race – Caracterizada pela mistura dos terrenos road/off-road).
  • 24 Horas – formato de competição da prova de 24H consiste basicamente em dar o maior número de voltas dentro de 24 horas, onde as equipes traçam suas próprias estratégias. Equipes em dupla, quarteto e sexteto revezam-se volta a volta enquanto os atletas da categoria Solo desafiam seus limites sem revezamento.
  • 24 Horas SOLO – Campeonato Mundial de MTB 24 Horas Solo 2019 onde objetivo é completar o maior número de voltas possíveis dentro do período de 24 horas.
  • Road Brasil Ride – Está entre as 10 melhores provas de estrada da América do Sul onde ciclistas poderão escolher entre duas distâncias: 70K e 100K.

2 – COPA INTERNACIONAL DE MOUNTAIN BIKE

Foto: cimtb.com.br

Uma das mais prestigiadas provas de MTB do Brasil, a Copa Internacional de MTB (CIMTB) acontece há 24 anos e já passou por diversos estados brasileiros, desde Minas Gerais, São Paulo, Bahia e outros.
É uma competição realizada em etapas e em 2019 passará por Minas Gerais e Rio de Janeiro e vale pontos para o ranking da União Ciclística Internacional (UCI).

Etapas CIMTB 2019
1ª etapa: Petrópolis, 9 e 10 de março
SuperElite: XCO e XCC
Demais categorias CIMTB Michelin e Copa Sense Bike: XCO

A primeira etapa conta com Cross Country Olímpico (XCO) Classe 1 e Short Track (XCC) Classe 3 com 70 pontos para o campeão no ranking da UCI. O evento também tem o XCO para categorias da CIMTB e Copa Sense Bike de Amadores.

2ª etapa: Araxá, 25 e 28 de abril
SuperElite: XCM, XCT, XCC e XCO
Demais categorias CIMTB Michelin e Copa Sense Bike: XCO

Essa etapa será uma das três provas do mundo classificada como SHC, na qual o atleta campeão soma 160 pontos no ranking da UCI.
O evento acontece durante quatro dias para a Super Elite, começando com uma Maratona (XCM) no primeiro dia, seguida do Time Trail (XCT) no segundo dia, o Short Track (XCC) para o terceiro e encerrando a competição, o Cross Country Olímpico (XCO). A decisão será a partir da somatória de tempos das quatro provas.

3ª etapa: Ouro Preto, 29 e 30 de junho
SuperElite: XCC, XCO
Demais categorias CIMTB Michelin e Copa Sense Bike: XCO

A competição oferece para a Elite o XCC e o XCO com 70 pontos para o campeão no ranking mundial.
Para as categorias da CIMTB e Copa Sense Bike de Amadores as provas de XCO acontecerão no sábado e no domingo.

4ª etapa: Congonhas, 17 e 18 de agosto
SuperElite: XCM e Desafio da Ladeira
CIMTB Michelin de Sub30 a Sub60, Dupla Pró e Ultra: XCM (62 km)
Demais categorias CIMTB Michelin e Copa Sense Bike e Duplas: XCP (42 km)

Nesse evento traz o tradicional Desafio Internacional de Maratona para a Super Elite e também para as categorias da CIMTB e Copa Sense Bike de Amadores.
O evento soma pontos para o ranking da UCI Marathon Series.

3 – TAÇA BRASIL DE CROSS COUNTRY

A Taça Brasil de Cross Country É uma das maiores competições de mountain bike do país, sendo constituída de diversas etapas.

Em cada etapa as premiações vão desde 250 reais para o 1º colocado até 80 reais para o 5º para a categoria masculina. Já para a feminina são premiadas até a 3ª colocação, com os valores de 200, 150 e 100 reais, respectivamente.

4 – SUBA 100 MILHAS

Foto: suba100.com.br

O Suba 100 Milhas é um challenge de MTB realizado na Bahia, com um percurso diferenciado. São os INSELBERGS, formações rochosas encontradas na região de Santa Teresinha , as ilhas terrestres como são chamados.
Os atletas percorrerão 100 MILHAS de distância, passando por trilhas e cidades históricas, e a subida da SERRA DA JIBÓIA, reserva natural de Mata Atlântica.

Matéria originalmente publicada em Bike Registrada

Está planejando participar dessas competições?
Conta pra gente qual você irá encarar esse ano!

E precisando de pneus e acessórios para a sua bike, você encontra aqui na Azupa!
Tudo para a sua #vidacombike está aqui!

MTB Cross Country: diferença entre XCO e XCM?

O Cross-Country (XC) é a modalidade do MTB a mais praticada no Brasil, devido a facilidade de encontrar locais para praticar.
Assim como outras modalidades do MTB, o XC também é dividido em algumas categorias e as mais conhecidas são o Cross-Country Maratona (XCM) e o Cross-Country Olímpico (XCO).

Conheça os tipos de provas do MTB Cross-Country (XC)

Cross-Country Maratona (XCM)

É caracterizada por ser uma maratona de longos percursos, que variam de 60 a 120 quilômetros. Os trechos podem variar entre terra, trilhas e asfalto.
Uma de suas características é que o percurso não pode ter nenhum trecho em que os atletas passem duas vezes pelo mesmo local e as distâncias sobre o asfalto, ou rotas pavimentadas, não podem superar 15% do percurso total.

Por se tratar de uma prova longa e de ritmo forte, os atletas devem estar preparados com uma resistência física e com um bom controle psicológico.

Os atletas também devem levar seu próprio suporte técnico, que inclui ferramentas, câmara de ar e bolsas de hidratação.

Cross-Country Olímpico (XCO)

No XCO, o trajeto já é menor e é disputado em circuitos fechados, alternando trechos mais técnicos de trilhas e estradas.
O trajeto pode variar de 30 e 40 quilômetros e a largada normalmente é realizada em grupo.

Por ter uma dificuldade técnica bem mais alta que no XCM, o cross-country olímpico exige mais experiência do ciclista e mais potência muscular para superar as partes mais técnicas e difíceis do trajeto.

Diferenças entre as duas categorias

Cada categoria demanda técnicas e experiências diferentes do ciclista.
No XCO, por ser em circuito, o atleta passa pelo mesmo ponto diversas vezes e tem a possibilidade de analisar o trecho e melhorar a cada volta.
Já no XCM, a dificuldade está na distância do trajeto que é percorrida uma única vez, fazendo com que o ciclista tenha mais atenção com o terreno desconhecido e exigindo muito mais rendimento da bicicleta e do atleta.

Se interessou por alguma dessas categorias?
Escolha a que mais combina com você comece a praticar!

E se precisar deixar a sua bike pronta para encarar o XCO ou o XCM, pode contar conosco!
Tudo o que você precisa para a sua bike está aqui na Azupa!

Avancini e Jaqueline Mourão vencem XCO na CIMTB

Prova de XCO em Petrópolis/RJ termina com os mesmos vencedores do XCC (Short Track).

Os vice-campeões também foram os mesmos do XCC com Luiz Henrique Cocuzzi e Letícia Cândido. Guilherme Muller e Raiza Goulão ficam em terceiro.

A cidade de Petrópolis/RJ foi o palco da 1º etapa da CIMTB Michelin. Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing), venceu também no XCO na tarde do domingo (10).
No Feminino, Jaqueline Mourão (Sense Factory Racing) levou a experiência e a força para garantir a segunda vitória, após vencer também no XCC.
Os dois atletas somaram 60 pontos no ranking da União Ciclística Internacional (UCI) com a prova de XCO que é classificada como Classe 3 pela instituição.

Foto: Fábio Piva

Luiz Henrique Cocuzzi (Lar – Scott) foi vice-campeão, seguido de Guilherme Muller (Cannondale Brasil Racing)
No feminino, Letícia Cândido (Corinthians Audax) subiu no segundo lugar do pódio ao da companheira de equipe Raiza Goulão, que garantiu a 3º colocação.

Elite Masculino

No masculino, a prova começou disputada com pelotão. A partir da terceira volta, Henrique Avancini e Luiz Henrique Cocuzzi ditaram o ritmo.
Avancini abriu uma vantagem a partir da terceira volta e finalizou com 1:23:06. O vice-campeão chegou com 1:04 de diferença.

O campeão ressaltou que competir em casa é um desafio. “Eu vi muita gente curtindo, feliz, pessoas do meu dia a dia que me conhecem, o ambiente acaba me relaxando. Virar a chave para competir bem, disputar bem, é difícil. Foi desafiador mas consegui contornar razoavelmente bem, estou em um momento bom e em boa forma. Agora é hora de focar em outras competições e isso aqui foi um combustível a mais para viajar com a motivação alta”, disse.

Cocuzzi já esperava uma prova dura. “Eu já sabia que não seria fácil, com seis voltas e muita subida. A prova foi forte desde o início, o Avancini deu um ataque na terceira volta e eu não consegui acompanhar. Vim forçando para não deixar abrir muita diferença”, comentou. O atleta da equipe Lar – Scott completou “Assim como eu, todos os atletas de Elite vieram muito bem preparados e treinados para a prova”, finalizou.

Elite Feminino

Na Elite Feminina, Jaqueline Mourão, Letícia e Raiza andaram juntos nas primeiras voltas, mas a campeã conseguiu abrir vantagem.
“Eu cheguei com muita vontade, tinha três meses que eu não via terra. Foi muito bom hoje, o carinho das pessoas. Larguei com o coração, tentei manter a calma até encontrar meu ritmo e abrir na última volta. Mas Graças a Deus deu tudo certo”, disse.
Jaqueline finalizou agradecendo. “Eu estou vivendo cada segundo como se fosse o último, agradecendo a Deus pela oportunidade de ter voltado, a toda esse energia e todas as pessoas”, comentou.

Foto: Fábio Piva

A vice-campeã, Letícia Cândido, completou a prova com 1:24:10, 21 segundos de diferença da 1º colocada. “Desde que eu cheguei aqui eu senti a oportunidade de dar meu melhor. Essa pista é muito técnica, me senti em um mundial, curti a energia do público, de todo mundo presente, da harmonia e graças a Deus eu cheguei aqui e consegui dar meu melhor. Tive um ótimo rendimento”, finalizou.

Confira o resultado completo masculino
Confira o resultado completo feminino

Matéria originalmente publicada em cimtb.com.br


Na Azupa você encontra tudo o que precisa para a sua MTB!
Tudo para a sua #vidacombike está aqui!

Henrique Avancini e Jaqueline Mourão vencem a prova do Short Track (XCC) na abertura da CIMTB.

O Short Track (XCC) da Super Elite abriu a temporada da Copa Internacional Michelin de Mountain Bike (CIMTB Michelin) 2019 no Vale do Cuiabá em Petrópolis. Em casa, Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing) levou a melhor e foi campeão do XCC.
Luiz Henrique Cocuzzi (Equipe Lar – Scott) foi o vice, seguido de Daniel Grossi (Groove Bikes/Chaoyang/Shimano/ASW).

No feminino, a estreia de Jaqueline Mourão (Sense Factory Racing)  no XCC veio acompanhada da vitória. A segunda colocação ficou para Letícia Cândido (Corinthians Audax), seguida de Danilas Ferreira da Silva (Tropix).

Foto: Fábio Piva

Elite Masculino

No masculino, Henrique Avancini e Cocuzzi ditaram o ritmo durante os 37 minutos de prova. Avancini conseguiu abrir uma vantagem na última volta e chegar com 27 segundos de diferença do vice-campeão.

“Foi uma boa disputa com o Cocuzzi porque ele segura bastante. Pra mim, competir assim é bastante desafiador. Eu gosto mais de uma prova mais ativa, um atacando o outro. Pra mim, competir com Cocuzzi é sempre desafiador mas foi uma boa primeira prova. Um short track longo, consegui fazer um bom ataque na penúltima volta e na última, resolvi bater o martelo em um lugar decisivo”, explicou Avancini. O campeão também afirmou que o circuito dá uma fluidez para o atleta. “Não é difícil de andar. Quanto mais força você coloca, mais a bike anda. É tudo muito conectado”.

IMAGEM

Cocuzzi contou que um erro na última volta fez diferença para o resultado. “Eu sabia que ia ser disputada e dura. Fiz uma estratégia até a última volta que deu certo, consegui poupar. Infelizmente eu tive um erro na última subida que custou a prova. Mas estou feliz com o resultado e vamos para a próxima”, comentou.

Elite Feminino

No feminino, a atleta Jaqueline Mourão reviveu lembranças do início do mountain bike para ela. De volta à CIMTB Michelin após mais de dez anos, a veterana se emocionou com o resultado. “Eu estou muito feliz de estar aqui e de rever tantas pessoas amadas, está sendo uma experiência incrível. Eu comecei junto com o Rogério com a Copa Ametur e estou muito feliz de ver a CIMTB tão grande e por estar representando uma equipe brasileira”, disse.

Foto: Fábio Piva

Apesar de experiente, a atleta Sense Factory Racing fez a primeira prova de Short Track na carreira e finalizou com uma diferença de quase 1min30segs. “Esse foi meu primeiro Short Track na vida. Tenho experiência mas não de XCC e eu não sabia como eu ia me comportar. Às vezes eu estava liderando, não sabia se eu forçava mais ou não. Foi um grande aprendizado. Agora, vamos recuperar porque amanhã tem mais”, comentou.

A vice-campeã Letícia Cândido comentou que pedalou no circuito no dia anterior e que teve uma outra impressão durante a prova. “Ontem quando eu rodava na pista eu tive a impressão de ser divertida, dura nas subidas, mas eu consegui me divertir. Hoje a percepção mudou totalmente, eu senti bastante na subida e de repente um super downhil e o Rock Garden que aparentemente era uma coisa fácil, com o desgaste do esforço físico ele se torna muito difícil. Me senti em um mundial, deu pra sentir o nível técnico das atletas e foi muito importante. Estou  contente com o resultado”, finalizou.

Confira o resultado completo do masculino.
Confira o resultado completo do feminino.

Matéria originalmente publicada em cimtb.com.br


Na Azupa você encontra tudo o que precisa para a sua MTB!
Tudo para a sua #vidacombike está aqui!