Arquivo da tag: bicicleta de estrada

Freios para bike de estrada: Side Pull ou a Disco?

Os freios são de extrema importância em todas as bicicletas e são peças que devem ter atenção dos ciclistas. Esses componentes atingiram um alto nível tecnológico e os freios para as bicicletas de estrada são peças que dividem a opinião dos ciclistas. Diferente de algum tempo atrás que onde só existiam os freio side pull (ferraduras) para as road bikes, atualmente os freios a disco se popularizaram nessa categoria e estão ganhando cada vez mais espaço.

Mas qual a diferença entre eles?

Freios Side Pull

Este é um dos freios mais usados nas bicicletas de entrada no mundo, por ser simples e relativa eficiência, possuindo diversos tamanho em modelos de ferro (mais antigos) e alumínio e utiliza sapatas feitas para brecar os aros.
O acionamento é feito por cabo que é puxado pelo lado da peça, sendo necessário aplicar muita força nas manetes para que as sapatas pressionem o aro e brequem a bicicleta. Por exigir mais força nos manetes, o poder de frenagem acaba sendo comprometido, o que pode também acontecer em dias chuvosos ou terrenos com muita sujeira, pois a sapata no aro molhado ou sujo não terá tanta eficiência na frenagem.
Esse modelo vem sendo deixado de lado nas bicicletas de estrada devido ao uso de pneus mais largos nessa categoria, mas o uso ainda é bastante difundido nesse tipo de bicicleta.

Vantagens:
– Leveza
– Ótimo custo-benefício
– Diversidade de modelos
– Simples manutenção e reposição de peças

Desvantagens:
– Potência comprometida por conta do acionamento via cabo
– Perda de aderência e eficiência no aro molhado ou sujo
– Manutenção mais frequente
– Impossibilita a utilização de pneus mais largos
– Resposta de frenagem mais lenta

Saiba como manter a manutenção da sua bike em dia

Freios a Disco

Os freios a discos são comuns e bastantes utilizados nas mountain bikes e as road bikes foram as últimas a utilizarem este componente. São freios eficientes e com excelente recuperação após ser molhado.
Os modelos de freios a disco são mecânicos (a cabo) e hidráulicos (a óleo). No sistema hidráulico, a vantagem é o sistema ser selado, que dificilmente terá problemas a curto prazo. Também temos a vantagem de maior poder de frenagem com pouco esforço no manete.
Os freios a disco podem ser de ferro ou alumínio, podendo ter rotores de 140 a 203mm de diâmetro. Eles são mais pesados, pois o sistema é composto de cubos, suportes de freio no quadro da bike, pinças e discos.

Vantagens:
– Maior poder de frenagem com pouco esforço no manete
– Utilização de pneus mais largos, possibilitando a utilização da bike em diferentes tipos de terrenos
– Menos manutenção
– Maior poder de frenagem em situação climáticas severas
– Sem comprometimento de frenagem mesmo com o aro desalinhado ou amassado

Desvantagens:
–  Mais pesado que os freios side pull
– Poucos modelos no mercado e com custo elevado
– Necessidade que a bicicleta tenha o suporte para esse tipo de freio
– Manutenção precisa ser realizada por profissional especializado
– Peças de reposição com maior custo

Sou iniciante no pedal, qual bicicleta devo escolher?

São várias opções de bicicletas que o ciclista iniciante vai encontrar antes de escolher a sua primeira bike, mas qual é a melhor opção?
A escolha da bicicleta vai depender do tipo de modalidade que você pretende praticar, sem deixar de contar com o tipo de terreno e uso dela.

Separamos 4 categorias de bicicletas que são bastante comuns para os modelos de entrada e vamos explicar um pouco das vantagens de desvantagens de cada uma.

Bicicletas Mountain Bike

Esses modelos são feitos para encarar todos os tipos de terrenos. Seu design é mais robusto e são equipadas com suspensão, freios a disco e rodas que podem ser aro 26”, 27.5” ou 29”.

Nesse tipo de bike, devido ao tipo de terreno em que são utilizadas, a posição de pedalada é mais inclinada, trazendo mais agressividade ao pedal.

Vantagens:
– Resistência
– Encaram qualquer tipo de terreno
– Melhor indicada para trajetos off-road

Desvantagens:
– Mais pesadas que os demais modelos
– Peças e componentes são mais caros
– Não são muito confortáveis

Bicicletas de Estrada

São os modelo que são desenvolvidos para ter melhor performance no asfalto e pisos pavimentados.

O aro padrão dessa bicicleta é o 700c, que além de serem extremamente leves, trazem mais eficiência e velocidade.
Como os quadros são projetados para ganhar velocidade, a posição de pedalada tem que ser muito agressiva e aerodinâmica, onde o ciclista fica totalmente curvado à frente do guidão.

Vantagens:
– Leveza
– Eficientes em terrenos planos
– Ideal para treinos e competições de velocidade

Desvantagens:
– Mais caras em relação aos demais modelos
– Peças e componentes são mais caros
– Não são confortáveis pois não possuem suspensão

Confira nossas Dicas para ir pedalar sozinho e com segurança

Bicicletas Urbanas

São os modelos voltados para o uso em cidades e ambientes urbanos.

Apresentam boa versatilidade e o ciclista pedala de forma mais confortável, sentado numa posição mais ereta e com os braços mais relaxados, normalmente utilizando selins mais largos.

Vantagens:
– Leves
– Ideais para ambientes planos
– Conforto
– Mais opções para acessórios como suportes de caramanholas, bagageiros, alforjes, etc

Desvantagens:
– Não são adequadas para terrenos acidentados
– Seu design não possibilita uma pedalada de alto desempenho

Bicicletas Elétricas

A grande maioria desses modelos são indicadas para o uso urbano, mas já é possível encontrar modelos para trilhas e estrada.

O funcionamento é praticamente igual ao de uma bike convencional, porém elas possuem compartimento para a bateria e o motor, que pode ser na roda dianteira ou traseira.

O motor pode funcionar de forma assistida, onde o motor auxilia enquanto você pedala e no modo acelerador, onde o motor impulsionará sozinho a roda e o ciclista não precisa pedalar.

Vantagens:
– Ideal para uso urbano
– Bom rendimento em subidas e retas
– Pessoas com dificuldades físicas podem utilizar com facilidade

Desvantagens:
– Mais pesada que a bicicleta de um modelo urbano
– requer assistência técnica especializada para a manutenção
– Dificuldade e limitações para terrenos acidentados

Ao buscar a sua primeira bicicleta, lembre-se de procurar uma que atenda as suas necessidades, a localidade em que irá pedalar e o estilo de pedalada que busca.

Recomendamos que faça um bikefit para saber o tamanho certo do quadro que é compatível com a sua altura, além de já saber quais outras peças e componentes são ideais para o seu biótipo, como por exemplo, o selim.

Vai pedalar longas distâncias? Confira essas dicas!

Mesmo quem já está acostumado a pedalar todos os dias, sabe que encarar longas distâncias não é uma tarefa fácil. Para enfrentar esse desafio é necessário muito preparo e cuidados especiais.

Veja algumas dicas para ter um desempenho melhor nesse tipo de pedal.

– ALIMENTAÇÃO

Parte fundamental para quem quer realizar exercícios de alta intensidade.
Para longas pedaladas, o ideal é já sair de casa bem alimentado e sempre levar opções para repor a energia durante a atividade.
Barras de cereal, sanduíches e frutas são ótimas opções.  

Não fique sem comer para não ter fraqueza durante o pedal e comprometer o seu desempenho, mas também não leve nada muito pesado para não ter aquela sensação de desconforto.

– HIDRATAÇÃO

Outro cuidado especial que devemos ter é a hidratação. Com a transpiração excessiva é necessário a reposição dos líquidos, seja com água ou isotônico.
A vantagem dos isotônicos é que eles repõem os sais minerais perdidos durante o exercício, oferecendo mais energia.
Beba um pouco de água a cada 20 minutos. Manter-se bem hidratado e alimentado, vai melhorar muito a sensação de bem-estar que a pedalada oferece.

– ROUPAS

Escolha roupas leves, dando preferência para as específicas de ciclismo, pois elas favorecem a transpiração.
As roupas íntimas devem ser folgadas e agradáveis, pois influenciam e muito na sua pedalada. Muitos ciclistas preferem não utilizar roupas íntimas, usando apenas as bermudas de ciclismo.

Um bom calçado deve ser utilizado também. Escolha uma sapatilha profissional ou um bom tênis resistente para ter mais conforto e segurança para pedalar.

– NÃO LEVE MUITO PESO

Como vai pedalar por longas distância, nem pense na possibilidade de levar uma mochila muito pesada. Leve apenas o necessário, dando preferência pelas pequenas bolsas que podem ser fixadas embaixo do selim e são ideais para levar ferramentas, câmaras e remendos.

Depois de muitas horas pedalando, quanto menos peso você estiver carregando, melhor será o seu desempenho.

– PROTETOR SOLAR E REPELENTE

Dependendo o local que você vai pedalar, proteger a pele dos desgastes do sol e dos ataques dos mosquitos é muito importante. Leve sempre esses produtos com você e não esqueça de reaplicá-los de tempos em tempos.

Pedalar por muitas horas e muitos quilômetros requer muito preparo e, se você não está acostumado, comece devagar e mantenha a regularidade e o ritmo. Logo estará aumentando o ritmo e a distância percorrida.

Matéria originalmente publicada em Bike Registrada

Sua bike está pronta para encarar o pedal?
Equipe aqui na Azupa!

Ciclocross: Uma modalidade diferente de tudo o que você já viu!

Lama, obstáculos e bike nas costas, assim é o ciclocross

Photo by Angel Santos on Unsplash

Se você ainda não conhece o ciclocross, esqueça toda a imagem que você tem sobre as competições de ciclismo. Uma mistura de vários tipos de competições, recheada com muita lama e obstáculos desafiadores, esse é o ciclocross.

Essa modalidade faz parte do calendário internacional da União Ciclística Internacional (UCI) e tem a sua própria Copa do Mundo, realizada de setembro a fevereiro (período de inverno no hemisfério norte).
O ponto alto do calendário é a prova do Campeonato Mundial, que começou a ser disputado em 1950 e esse ano será disputado nos dias 1º e 2 de fevereiro, em Dübendorf, na Suíça.

Podemos falar que é uma espécie de curso prático de ciclismo, pois exige forte habilidade na condução, além de uma ótima forma física, porque em diversos trechos, os atletas precisam carregar as bikes nas costas.

As provas normalmente possuem de 2,5 km a 3,5 km de extensão e são realizadas em circuitos técnicos e montanhosos, onde o terreno possui trechos de areia, galhos de árvores e lama, sem contar os obstáculos artificiais, como barreiras e escadarias.

Photo by Angel Santos on Unsplash

O ciclocross nasceu de corridas entre amigos, onde o objetivo era chegar primeiro sem usar as estradas normais de uma cidade a outra, fazendo com que os corredores buscassem atravessar plantações e pular cercas de fazendas.

Como era um esporte que poderia ser disputado mesmo no rigoroso inverno, período de recesso das competições de estrada, passou a ser visto como uma nova modalidade.
O primeiro campeonato nacional na França foi realizado em 1902, com ajuda de Géo Lefèvre, um dos criadores da tradicional Volta da França de ciclismo.

Photo by Angel Santos on Unsplash

Mais de 100 anos depois, uma corrida amistosa entre amigos, virou uma modalidade com participação dos mais importantes ciclistas do mundo envolvidos.
Já pensou em dar uma chance ao ciclocross?

Matéria originalmente publicada em Red Bull

Quer deixar a sua bike em dia para o ciclocross?
Você encontra tudo aqui na Azupa!

Bicicleta de Estrada: Dicas para escolher o pneu

Muita atenção é dada ao quadro, peso e outros componentes de uma bicicleta mas, muitas vezes, os pneus são negligenciados.
Escolher o pneu correto vai melhorar a sua experiência de pilotagem, além de trazer mais conforto e melhor desempenho.

Para auxiliá-lo a escolher o pneu, separamos algumas importantes informações que você deve saber sobre os pneus da sua bicicleta.

Tipos de pneus

Existem três tipos de pneus que são mais utilizados. O pneu “clincher” é o mais comum e que a maioria dos ciclistas de estradas utilizam. Os ciclistas profissionais preferem utilizar os pneus “tubulares”, mas os “tubeless” estão ganhando cada vez mais adeptos no ciclismo de estrada.

Imagem: schwalbetires.com

CLINCHER

Vamos ver um pouco mais sobre cada um:

É o tipo de pneu mais comum para a bicicleta de estrada, tem preços mais acessíveis e são mais fáceis de serem trocados.
Os pneus clincher precisam da utilização de uma câmara de ar e em caso de furo, ela poderá ser facilmente substituída ou remendada.

Você encontrará modelos dobráveis, onde o talão é de fibra de aramida (kevlar), que é mais durável e maleável. Os modelos não dobráveis possuem o talão feito com um fio de aço (também chamado de arame).

Os modelos dobráveis são muito mais leves que os de arame e por esse motivo tendem a serem mais caros.

TUBULAR

Populares entre os pilotos profissionais, esse é tipo de pneu mais caro e que precisa de mais cuidados que os demais modelos, porém é o mais resistente a furos, trazem maior velocidade e menor resistência à rodagem.
Por atingir uma pressão bem maior que o clincher, diminui a área de contato com o solo e consequentemente o arrasto. 

Os pneus tubulares  possuem uma “câmara” de ar interna mas é costurada junto ao pneu para serem coladas ao aro. Isso mesmo, esse tipo de pneu precisam ser presos à roda por meio de uma cola ou fita especial.
A troca de um pneu furado é muito mais rápida do que um pneu com câmara, porém é necessário que o outro pneu tubular esteja pré-colado, o que é difícil de transportar para realizar esse reparo na rua.
A manutenção desse tipo de pneu já não é das mais fáceis e acessíveis, por isso é considerado um item de corrida.

 TUBELESS

São os famosos pneus sem câmara. Embora muito utilizados nas mountain bikes, também existem pneus tubeless para as bicicletas de estrada.
Não existem nenhuma câmara nesse tipo de pneu, eles encaixam no aro da mesma forma que um clincher, porém com tolerâncias muito mais estreitas para ficar mais firme e hermética. Para que isso seja possível é necessário uma roda/aro compatível, o que pode deixar mais caro ter esse tipo de pneu na bicicleta.

A utilização de selante também é necessário para criar uma vedação quando algum furo acontece. Ao furar o pneu, o próprio ar interno faz com que o líquido seja levado para o local, remendando o furo .

Tipo de Terreno

O tipo de terreno que você pedala com a sua bicicleta também será um fator importante na hora de definir o pneu correto.

Asfalto ruim e irregular precisam de pneus mais resistentes e com diâmetro maior (mais grossos), já em estradas melhores os pneus mais leves e mais estreitos terão um rendimento melhor.

Tamanho do pneu

O tamanho dos pneus e rodas das bicicletas de estrada não tem tanta variação quanto as mountain bike.  Os aros 700 são praticamente universais para as rodas e a maioria dos pneus de estrada varia de 23mm a 28mm, porém existem modelos superiores a 35mm que são usados em cyclocross e lazer.

Antes de comprar o pneu para sua bicicleta de estrada, verifique se a largura está dentro da faixa recomendada de aro/roda. Consulte o local de compra se não tiver certeza dos limites da sua bicicleta.

Pressão dos pneus

A pressão está diretamente ligada a escolha dos pneus, porém é necessário ficar atento pois a pressão pode variar dependendo do terreno.

Quando a pressão em um pneu é alta, a resistência ao rolamento melhora e o pneu fica menos suscetível a perfurações. Pressão baixa em um pneu proporciona melhor conforto e aderência.
Fatores como peso do ciclista, tamanho do pneu, tipo de terreno e pilotagem influenciarão na pressão escolhida.
Na lateral do pneu estará a calibragem mínima e máxima indicada pelo fabricante e é recomendável ficar dentro dessa indicação.

Saiba como diferenciar todas as medidas que estão escritas na lateral dos pneus nesse artigo aqui.